in

Como fazer um orçamento pessoal eficaz

Continua após a publicidade..

A cada dia que passa, temos mais certeza da importância de organizar nossas finanças e criar um orçamento pessoal eficaz. Segundo a Pesquisa Nacional de Endividamento e Inadimplência do Consumidor, divulgada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), o índice de endividamento do país fechou em 66,5% em 2020.

É difícil listar os principais fatores que justificam esse número, mas um deles é a falta de organização financeira aplicada no dia a dia do trabalho. Quando temos uma visão estratégica de nossas finanças e conseguimos encontrar a melhor forma de planejar o controle financeiro, alcançamos a tão esperada saúde financeira.

Em suma, um orçamento pessoal é uma ferramenta de controle financeiro que inclui a definição de limites de gastos para cada categoria de gastos, sejam eles necessários ou não. Sabendo disso, para montar de forma eficaz você precisa:

Cadastre sua renda

Para entender quanto você pode gastar, primeiro você precisa saber quanto ganha por mês. Isso parece lógico, mas muitas pessoas não entendem a diferença entre salário bruto e líquido, por exemplo. E, por não saberem, acreditam que o valor que devem receber todo mês é exatamente o valor sem o desconto.

Por isso, avalie com atenção o seu salário, caso seja funcionário CLT, ou não deixe de conferir seus extratos bancários, caso seja empresário e autônomo. A partir daí, não se esqueça de registrar os rendimentos em seu orçamento pessoal.

Registre suas despesas

Você já sabe quanto dinheiro ganha? Agora é a hora de saber quanto você gasta. Para realmente ter uma ideia de seus gastos, lembre-se de anotar tudo, mesmo os menores que parecem “insignificantes”. Acredite: juntos eles representam uma parcela significativa do seu orçamento.

Categorize suas despesas e estabeleça limites para cada uma
Para facilitar a análise das despesas, procure classificá-las, como:

  • Mercado;
  • Transporte;
  • Manutenção da casa (água, luz, telefone, aluguel);
  • Compras pessoais;
  • Cursos de formação;
  • De outros.

Assim será possível ver qual categoria concentra a maior parte dos seus gastos e definir limites de gastos para cada categoria, mas dentro da faixa realista possível.

Cortar as despesas

Você categorizou? Excelente! Agora é a hora de avaliar se o custo faz sentido para a sua realidade financeira. Corte despesas sempre que possível.

Outra estatística muito interessante apresentada na pesquisa é que 45% dos entrevistados sentiram que a compra por impulso prejudicou sua gestão financeira e 29% ficaram sem dinheiro a maior parte do mês.

Assim, avaliando os gastos, é possível identificar compras desnecessárias, levando a um maior retorno da folha de pagamento.

Definir metas financeiras

É ótimo economizar dinheiro, mas o que você quer fazer com ele? Quando você define seus objetivos com dinheiro, ele se torna mais alcançável e satisfatório.

E não precisa envolver a compra de bens materiais ou viagens. Você pode simplesmente economizar dinheiro para saldar dívidas ou construir reservas financeiras para o futuro.

Você tem dívidas pague-os primeiro

Falando em dívidas, como você lida com elas? Tá pagando muito juros aí? Portanto, sua prioridade de orçamento pessoal deve ser pagar todas as suas contas.

Não adianta economizar dinheiro se os juros da dívida estão consumindo seu orçamento. Pague tudo o que deve antes de pensar em qualquer outra coisa.

Se você está gostando desse post, também vai gostar desse: Como aumentar sua poupança pessoal

Construir reservas de emergência

Agora, se você pagou todas as suas contas, ou não deve nada a ninguém, pense nas suas reservas financeiras. Nada mais é do que um valor à parte destinado a despesas emergenciais não previstas em seu orçamento.

Segundo especialistas, o valor ideal para uma reserva de emergência deve ser de 6 a 12 meses de seus gastos mensais. Se você fizer as contas agora, pode se assustar com o valor, mas não se preocupe: as reservas podem ser construídas aos poucos, e algum dinheiro já é melhor do que nada.

Você tem um cartão de crédito use isso a seu favor

Cartões de crédito nem sempre são ruins. Aliás, ele é um aliado muito importante no seu planejamento financeiro, o problema é quando ele é usado como renda extra e você não consegue acompanhar a fatura.

Saber usar o cartão de crédito pode te ajudar a ter mais poder de compra e parcelar algumas despesas – mas lembre-se de contabilizar essas parcelas nas despesas do próximo mês, combinado?

Sempre avalie seu plano

Ele foi demitido? Tem uma promoção? Você está mudando de emprego para ganhar mais dinheiro? Tem renda extra mensal? A família cresceu? Bem, tudo isso acontece. É importante incluir essas mudanças em seu orçamento pessoal.

Quaisquer que sejam as mudanças, elas afetam seus planos e precisam refletir com precisão sua realidade. Portanto, verifique seu orçamento com frequência e ajuste conforme necessário.

Usar recursos técnicos

A tecnologia fornece uma variedade de ferramentas para ajudá-lo a controlar seu orçamento pessoal. Use e abuse de apps que façam sentido para você, como os que mapeiam suas receitas e despesas, ou carteiras digitais que facilitam o controle do seu orçamento e até deixam seus cartões e fundos mais seguros — porque existem Com ela, você pode dispensar com sua carteira física.

Como você pode ver, manter um orçamento pessoal mensal é muito mais simples do que parece. É realmente uma questão de disciplina e organização. Planejando bem como gastar seu dinheiro, você verá que ele rende mais, possibilitando a realização de sonhos que antes pareciam impossíveis.

Gostou do post? Então compartilha nas redes sociais e assina nossa newsletter para receber os melhores conteúdos sobre gestão e tecnologia na caixa de entrada do seu e-mail.

Continua após a publicidade..

Post desenvolvido por : Redação da Sublime Finanças

Continua após a publicidade..

Como aumentar sua poupança pessoal

Dicas para gerenciar suas dívidas pessoais